domingo, 15 de março de 2015

Sociedade Interiorizada

Pense sua vida
Faça sua vida
Siga por esses fluxos translúcidos
invisíveis sentidos

Cada um por si, só
Sem inter sentimentos
Sem pavor de ser por sociedade
Sem medo de não ser o que é

Por suspiros do interior
Em um seguir sem sentido
Com segredos decretados
Em passos tortos

Perdido por caminhos conhecidos
Sem alma de ser oque ser
Num amanhecer sem sol
Num trilhar sem vida

domingo, 4 de janeiro de 2015

Amor in-Perfeito

Encontros em distantes pedidos
Encontrar sem querer já implorando, em desesperos
Como achar algo que nunca foi perdido
Mas que fazia falta, era um pedaço

Alguém que toca, sem mesmo encostar
Algo divino que sempre existiu, mas nunca percebido
Um anjo de repente, um amor sempre
Sempre linda, mas nunca foi Diras

Alguém que falta sem perceber
Que desperta paixões, amores
Felicidade, a vida
Um ser único, único ser

Bela pode-se dizer, mais que isso
Minha Vênus mais que deusa
Um toque, uma vida
Uma inestimável, imperceptível,
Amor perfeito...

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Princípio

No Princípio
Foi por um princípio
Mas por nada
Tornou-se vazio
Sem mesmo um sentido
Por caminhos perdidos
Por medos aflitos
E desesperos em série
Foi-se por mito
Um desapego instantâneo
E em prantos ficou
Com vazio, e
O nada se tornou.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Pulsos

Por turbilhoes de sentimentos
Ódio, desespero, raiva, pavor
Não consegui enxergar, em você.
Esse seu singelo olhar
Essa sua delicada voz.

Por vozes, e gritos.
Que me despertam essa fúria
Não consegui sentir seu toque
Seu sentimento fluindo, assim
Como Pássaros

Por medos, horripilantes,
Não consegui, nem mesmo,
Seguir seus pequenos passos
Sentir seu coração.
Seu amor, apenas o que queria.

terça-feira, 29 de abril de 2014

VIVENDO



Sinta essa eletricidade transpassar seu corpo
Sinta esse poder dominar seu ser
Exploda, imploda, domine
Sonhe

Sinta essa natureza que te ergue
Sinta esse toque de força
Corra, fuja, liberte-se
Realize

Deixe que seu ser seja o que tiver de ser
Flua, viva, sinta
Sinta a vida
Ressurja, regresse, deixe-se ser o que for

Renasça, refaça, reformule.
Sinta isso, ou seja mais um
Que segue esse fluxo vicioso de morbidez sem nexo da vida sem “Senti(do)”
Deixe-se sentir o que for.

Eleve-se
Arrisque-se
Ame-se, Ame.
VIVA.

domingo, 27 de abril de 2014

Esperança, ou nada.



Sem ter o que sentir
Sem sentido ou caminho
Sem alguém para pedir socorro
Perdemos sonhos
Perdemos pessoas
Ou até mesmo a esperança, ou mesmo a vida

Sem rumo ou meta
Perdemos o amor, carinho, forças
Ficamos cegos
Reclusos de uma vida sem felicidade
Em mente nos deixamos
Por dor

Sem amor
Ficamos, sós e caídos
Sem fome ou desejos
Por nada vivemos
E por vida não somos
Seja o que for

E assim nos deixamos
Ao profundo, perdidos.
Sem amor, dor ou mesmo vida
Ficamos assim sem sentidos, ou por sentimentos
E esperamos
Mesmo que seja só a morte,


Ou a vida, por esperança.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Seja de ti ou por ti, servo ou acervo de seus sentimentos

Faça de ti acervo de seus sentimos, bem-feitos ou malfeitos, seja o que for.
Mas, se assim for, do modo que for, e de quem for, faça por ti, por que de ti, e apenas, colherá seus, apenas, frutos. Ou desgostos, escolha.
Boa noite ser, ou não.